Leis trabalhistas mudaram e trabalhador fica no prejuízo. Ao contrário do que o Governo Federal espera, alterações podem causar demissões em massa.

Já está valendo as novas regras da reforma trabalhista, que muda direitos e deveres de trabalhadores e empresas privadas. No entendimento geral dos trabalhadores, patrões levaram vantagens e o fato de que isso irá gerar emprego e mais postos de trabalho pode ser colocado em xeque devido possibilidades de demissão. A partir de agora, empresários podem demitir funcionários que estão no regime CLT e contratar terceirizados. Além disso, várias outras regras mudaram e, num primeiro momento, beneficiam o empregador.

As principais mudanças são:

– As férias poderão ser divididas em até três períodos;
– Banco de horas poderá ser feito por acordo individual;
– O tempo para almoçar poderá ser reduzido para 30 minutos;
– Funcionários poderão ser contratados sem hora fixa e ter salário variável;
– Qualquer trabalhador poderá trabalhar 12 horas seguidas e descansar 36 horas;
– Grávidas e mulheres amamentando poderão trabalhar em lugares perigosos;
– Demissão poderá ser por acordo e o trabalhador ganha menos FGTS;
– Trabalho de casa fica regulamentado e tem de constar do contrato;
– Empresa poderá terceirizar trabalhador, mas quem for demitido só pode voltar para a mesma empresa 18 meses depois.

Para se ter uma ideia do quanto isso é prejudicial, juízes do trabalho não se entendem e pretendem aguardar mais tempo, já que algumas mudanças ferem direitos constitucionais e até internacionais que respaldam o trabalhador.

Be the first to comment

Leave a Reply

Seu e-mail não será publicado.


*