Sindimoto de Manaus faz mega protesto contra Uber

Mototaxistas e taxistas se unem contra a Uber e querem regulamentação para todos.

A precarização das relações trabalhistas chegou ao Amazonas com a Uber que tem prejudicado os mototaxistas e taxistas de Manaus,  capital amazonense que ainda conta com mais de 12 mil trabalhadores clandestinos diante de apenas 3 mil regularizados. Participaram do protesto o Sindimoto de Manaus, que tem como presidente Anderson Souza, os companheiros Adriano e Roberto, representando os taxistas, cerca de 600 mototaxistas e 200 taxistas. O sistema de aplicativo da Uber gera discórdia e insatisfação porque o lucro maior fica com a empresa, além dela precarizar as relações trabalhistas.

O ato também foi contra a clandestinidade existente no setor de transporte de passageiros com moto e táxi. A manifestação passou pelas principais vias de Manaus, bem como a prefeitura, o Aeroporto Eduardo Gomes e terminou na Avenida Torquato Tapajós por volta das 15hs30, quando o própio Governador do Estado do Amazonas, Davi Almeida, intermediou uma reunião com o prefeito Artur Virgílio Neto, que acontece hoje (21/06), para resolver o problema.

Segundo Anderson Souza, há anos a prefeitura de Manaus é omissa sobre a questão clandestinidade e não faz cumprir a Lei Municipal 2088 que exige regulamentação dos trabalhadores de transporte de passageiros com moto ou táxi. Souza também disse que os motoboys estão abandonados e que, ano que vem, junto com os companheiros do setor lutarão para regulamentação também dessa categoria.

Veja aqui mais imagens da manifestação

 

Be the first to comment

Leave a Reply

Seu e-mail não será publicado.


*