MTE não fiscaliza a empresa de aplicativo Loggi conforme solicitação do MPT

1° ofício foi enviado ano passado dia 18 de maio de 2016 e recebido pelo MTE em 13 de junho de 2017.

O Ministério Público do Trabalho (MPT) – Procuradoria do Trabalho do Município de Osasco, enviou ofícios à Superintendência Regional do Trabalho e Emprego – Gerência Regional do Trabalho e Emprego em Osasco (GRTE ) / Ministério do Trabalho, solicitando apuração de irregularidades cometidas pela Loggi como falta de registro na carteira profissional e jornadas abusivas sem direito a descanso.

O 1º ofício do MPT foi enviado em 18/05/2016 e recebido pela Superintendência Regional do Trabalho de Osasco MTE em 13 de junho de 2016. Sem resposta, o MPT enviou um segundo ofício em 13/01/2017 que voltou com recebimento de protocolo em 25/01/2017, porém, pela segunda vez consecutiva a Superintedência ignorou os ofícios e não fiscalizou a Loggi.

É inadmissível que em pleno século XXI, empresas “escravizem” trabalhadores, são denunciadas, e nada se faz. Lamentável, no mínimo, relata o SindimotoSP que, em São Paulo tem denunciado empresas de aplicativo que exploram a mão de obra no setor de motofrete e precarizam as relações trabalhistas.

2º ofício enviado pelo MPT em 13 de janeiro de 2017 e recebido pelo MTE em 25 de janeiro de 2017.

Be the first to comment

Leave a Reply

Seu e-mail não será publicado.


*